20 Set

 Prosegur Security reforça segurança do Rock in Rio com bodycams desenvolvidas pela Dahua Technology

20/09/2017

 

Companhia investiu cerca de R$ 1 milhão em tecnologia para a edição de 2017, que contará com monitoramento feito por câmeras acopladas ao colete dos vigilantes

 

Pela quarta vez consecutiva, a Prosegur, empresa líder do segmento no Brasil e única do setor presente em todo território nacional, é a responsável pela operação de segurança do Rock in Rio. A companhia investiu cerca de R$ 1 milhão em tecnologia para implementar a maior estrutura de segurança já utilizada em uma edição nacional do festival. Uma das inovações é o uso do dispositivo MPT310, desenvolvido pela Dahua Technology, fabricante de soluções de videomonitoramento. Trata-se de uma câmera corporal acoplada ao colete de vigilância, que grava imagens e áudio de alta resolução 1080Pem cartão de memória e transmite o conteúdo em tempo real para a central de monitoramento, o que garante maior agilidade nas respostas em casos de incidentes.

 
O dispositivo conta com suporte a um sistema completo de georeferenciamento GPS, que possibilita a sua localização, além da criação de cerca virtual e ronda. As câmeras corporais podem ser gerenciadas e monitoradas pelo servidor de DSS7016 da Dahua, que possui alta capacidade de processamento e recursos de gravação e busca avançados. Já na sala de controle, são utilizadas quatro telas de LCD da Dahua, de 46 polegadas, com resolução Full HD. Com tecnologia de antirretenção, as telas favorecem a exibição de imagens estáticas por um longo período de tempo, eliminando o efeito fantasma. Além disso, um painel de LED de 120 polegadas também está a serviço da segurança durante o evento. Com resolução 2k, possui calibração que assegura cor e brilho uniforme, e recursos de baixo consumo de energia.
 
“A Prosegur fez um estudo do Parque Olímpico da Barra para avaliar a estrutura de segurança que seria implementada durante o evento. Essa será a maior operação de segurança já realizada pela empresa em um Rock in Rio. Para isso, teremos 50% a mais de vigilantes do que em 2015 e investimos pesado em tecnologia”, explica Bruno Jouan, diretor da Prosegur Security.