15 Set

Prosegur Security realiza maior operação de segurança da história do Rock in Rio 

15/09/2017

Companhia investiu cerca de R$ 1 milhão em tecnologia para a edição de 2017, que contará com monitoramento feito por drones e efetivo 50% maior que o da edição anterior do evento  

Pela quarta vez consecutiva, a Prosegur, empresa líder do segmento no Brasil e única do setor presente em todo território nacional, será responsável pela operação de segurança do Rock in Rio. Porém, desta vez, a empresa investiu cerca de R$ 1 milhão em tecnologia para implementar a maior estrutura de segurança já utilizada em uma edição nacional do festival, que será realizado nos dias 15, 16, 17, 21, 22, 23 e 24 de setembro, na Cidade do Rock, na Barra da Tijuca (RJ).
 
A principal novidade de 2017 apresentada pela empresa é a utilização de dois drones para o monitoramento da área da lagoa, de maneira a evitar possíveis invasores. Além disso, a Prosegur ampliou em 50% o número de vigilantes em relação ao Rock in Rio 2015. Assim, 1.200 profissionais treinados para atuar em grandes eventos serão responsáveis pela segurança. A equipe contará ainda com 60 câmeras – o dobro da última edição -, e 25 cachorros das raças pastor alemão, rottweiler e pastor belga Malinois.
 
Pela primeira vez, as imagens captadas pelas câmeras da Prosegur estarão conectadas em tempo real ao Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) do Rio de Janeiro, assim a segurança pública estadual conseguirá monitorar o que está ocorrendo no evento. “O uso de drones e das câmeras, bem com o alinhamento com as autoridades, permitirão uma tomada de decisão mais rápida e precisa durante o Rock in Rio”, explica Bruno Jouan, diretor da Prosegur Security.
 
Para reforçar a operação, a Prosegur disponibilizará bodycams que serão utilizadas pelos vigilantes durante os sete dias de festival. O objetivo é garantir a segurança do público e dos colaboradores, já que todas as ações estarão sendo gravadas. O monitoramento também estará sendo realizado nas proximidades da Cidade do Rock com carros que farão a leitura das placas dos veículos que estão nos arredores para checar se estão autorizados.
 
“A Prosegur fez um estudo do Parque Olímpico da Barra para avaliar a estrutura de segurança que seria implementada durante o evento. Essa será a maior operação de segurança já realizada pela empresa em um Rock in Rio. Para isso, teremos um número maior de vigilantes e investimos pesado em tecnologia”, reforça Jouan.