COVIDFREE_aula

A  Prosegur, por meio de sua área de Inovação e em colaboração com a sua Fundação, lançou um desafio para startups que buscam soluções de segurança que ajudem a restaurar a educação presencial em espaços seguros e livres de Covid-19. O principal objetivo dessa iniciativa é encontrar soluções inovadoras que facilitem a convivência em centros de treinamento, pois esses espaços são caracterizados por sua alta densidade de ocupação, suas áreas limitadas e onde o contato físico é muito comum, como: salas de aula, cantinas, quadras, parquinhos, banheiros, laboratórios, bibliotecas, auditórios ou secretarias.

 

Para Mercedes Borbolla, diretora da Fundação Prosegur, “o impacto da pandemia na educação tem sido sistêmico. Afetou diretamente estudantes, professores, escolas e famílias”. A responsável pela Fundação Prosegur destacou, nesse sentido, que “a solução do problema da educação presencial deve ser colocada em pauta, pois é necessário enfrentar as consequências do distanciamento em aspectos como equilíbrio emocional e sociabilidade dos alunos, evasão escolar, exclusão digital, convivência familiar ou até um retorno eficiente à empresa”. Borbolla também valorizou "o papel da educação como motor do progresso, um direito fundamental para crianças e jovens, por isso devemos todos cooperar na solução desse desafio social".

 

A convocação, que estará aberta até 6 de julho, conta com o apoio de instituições como o Comité Español de los Colegios del Mundo Unido, Empieza por Educar, Ashoka, Créate e Scientia, além da plataforma de empreendedorismo global South Summit e da instituição educacional La Salle. A Comunidade de Madri também aderiu a essa iniciativa, que apoiará o desenvolvimento de um programa piloto para o vencedor do desafio. Todas essas instituições farão parte do comitê de seleção do projeto vencedor, juntamente com especialistas das áreas médica e acadêmica.

 

A iniciativa faz parte do programa de inovação aberta lançado pela Prosegur no início do ano, o Come In, aberta a participação de start-up com atuação nacional e internacional. A empresa vencedora terá a oportunidade de realizar testes-piloto em um centro educacional da Comunidade de Madri. Na sequência, o processo de comercialização será ampliado a outros países. Nesse sentido, a escalabilidade da solução é muito relevante, pois é um problema de âmbito global, com grandes regiões onde o acesso à educação presencial é ainda mais necessário, dada a profundidade da exclusão digital. Um impacto que a Fundação Prosegur conseguiu demonstrar por meio de seu programa de cooperação para o desenvolvimento, Piecitos Colorados, que possui escolas beneficiadas em seis países da América Latina.

 

Para mais informações: https://www.prosegur.com/comein/academic-fundacion/